Artes e comunicação (48)

Mostrando 37–48 de 48 resultados

Ordenar por:
  • img-book
    Peixe-elétrico #07 de Alfonso Berardinelli, André Singer, Fábio Salem Daie, Flávio Ricardo Vassoler, Gonzalo Aguilar, Hernán Ronsino, Isabel Loureiro, Kelvin Falcão Klein, Maria Elisa Cevasco, Mario Cámara, Nuno Ramos, Taisa Palhares, R$ 14,90

    Nesta edição:

    Loser – NUNO RAMOS
    Ensaio baseado em palestra proferida em Berkley nos Estados Unidos, o artista plástico paulistano pensa sua obra a partir das diferenças entre se produzir cultura em regiões hegemônicas e não hegemônicas.

    Direita e esquerda na literatura – ALFONSO BERARDINELLI
    Um dos mais destacados críticos de nossos tempos, Berardinelli avalia o local da literatura e da modernidade a partir daqueles que considera autores-chave.

    A fábrica – HERNÁN RONSINO
    Apontamentos pessoais sobre o processo de modernização argentino a partir da relação de uma pequena cidade e sua principal fábrica. O ensaio serviu como ponto de partida para a escrita do romance Glaxo.

    Estrutura de sentimentos – MARIA ELISA CEVASCO
    A crítica e professora da USP pensa o lulismo e o momento atual do Brasil tendo como guia uma revisão da obra de Roberto Schwarz.

    Kafka vai ao cinema – KELVIN FALCÃO KLEIN
    O cinema no centro deste ensaio de crítica literária que articula Sebald com Kafka.

    O regresso dos pudibundos – FÁBIO SALEM DAIE
    Ensaio cultural de fôlego busca entender as manifestações de 2013 no Brasil e seus desdobramentos privilegiando como objeto de análise o cinema nacional contemporâneo.

    Guignard: A constituição do olhar moderno a partir da tradição europeia – TAISA PALHARES
    O inesgotável tema dos dilemas e apropriações da cultura europeia por artistas brasileiros é visto aqui por meio da obra de Alberto da Veiga Guignard.

    Dostoiévski lê Hegel na Sibéria e cai em prantos? – FLÁVIO RICARDO VASSOLER
    Em diálogo com László Földényii, Vassoler imagina leituras cruzadas de Dostoiévski e Hegel.

    Performance e literatura – GONZALO AGUILAR e MARIO CÁMARA
    Gabeira e Rufato estão no centro dos estudos de literatura e performance de Aguilar e Cámara.

    Neodesenvolvimentismo? Liberal-desenvolvimentismo? Neoliberalismo? – ISABEL LOUREIRO
    Como entender o lulismo a partir da questão agrária? Nos anos Lula quem afinal venceu a parada: MST ou agronegócio?

    Reformismo fraco – ANDRÉ SINGER
    Longa entrevista em áudio com o sociólogo André Singer a respeito das contradições do lulismo.

  • img-book
    Peixe-elétrico #08 de Adriano Schwartz, Bianca Vasconcellos, Étienne Balibar, Fabiane Secches, Gilles Deleuze, Francisco Alvim, Lara Norgaard, Pedro Meira Monteiro, Renata Martins, Ronald Polito, Socorro Acioli, Tales Ab’Sáber, Zuca Sardan, R$ 14,90

    Leia nesta edição:

    Marxismo e Guerra
    Étienne Balibar

    Fascismo comum, sonho e história
    Tales Ab’Sáber

    Cartas
    De Gilles Deleuze para Félix Guattari

    Que horas são?
    Zuca Sardan e Francisco Alvim

    Nós não vamos pagar nada
    Pedro Meira Monteiro

    Deslocamentos e instabilidades na ficção de Luiz Alfredo Garcia-Roza
    Adriano Schwartz

    Canções pela vida toda
    Ronald Polito

    Tentação – Uma leitura do conto de Clarice Lispector
    Fabiane Secches

    Rubem Fonseca e o caso do testemunho ficcional
    Lara Norgaard

    A obra como vontade: uma experiência de escritura com Roland Barthes
    Socorro Acioli

    Chernóbyl – 30 anos e 1 dia depois (fotos)
    Bianca Vasconcellos

    Rap da República de Pindorama na Alemanha
    Renata Martins

  • img-book
    Peixe-elétrico #09 de Adriano Schwartz, Agnaldo Farias, Alessandra Martins Parente, Ana Paula Pacheco, Athos Morais Valverde Júnior, Ellen Maria Vasconcellos, Henrique Balbi, Isabela Cordeiro Lopes, Jean-Jacques Rousseau, Marcos Nobre, Mell Brites, Natalia Timerman, Paulo Avelino, Rafael Vaz de Souza, Tuca Vieira, Wilker Sousa, R$ 19,90

    O grande engodo – Marcos Nobre

    O cientista político pensa a chegada da extrema-direita no mundo e no Brasil, os impasses das ciências humanas para entender a realidade atual, o esvaziamento da ideia de futuro e o papel das lutas identitárias em cenário de esgotamento democrático.

     

    Olhar como construção – Agnaldo Farias e Tuca Vieira

    O crítico e professor da FAU analisa o ensaio fotográfico Dead End, de Tuca Vieira, que ilustra esta edição da revista. Gentrificação e arquitetura são os termos principais do jogo do olhar entre o dado e o construído.

     

    Cágado – Ana Paula Pacheco

    Entra em cena o nonsense nessa comédia ligeira como tentativa de dar conta do momento Bolsonaro do país.

     

    Freud como grão-burguês e o patriarcado na psicanálise – Alessandra Martins Parente

    A psicanalista se debruça sobre o “Moisés” de Freud seguindo os passos de Walter Benjamin e Willy Haas em “De cidadão do mundo a grão-burguês”.

     

    Ensaio sobre a origem das línguas –Jean-Jacques Rousseau

    Nova tradução e na íntegra do ensaio clássico.

     

    Dossiê Literatura – Adriano Schwartz

    Organizado pelo professor de literatura contemporânea da USP, nove ensaios de jovens críticos tratam de diversas faces e questões da produção literária do pós-Segunda Guerra até hoje, no Brasil e no mundo. São eles: Athos Morais Valverde Júnior, Ellen Maria Vasconcellos, Henrique Balbi, Isabela Cordeiro Lopes, Mell Brites, Natalia Timerman, Paulo Avelino, Rafael Vaz de Souza e Wilker Sousa. Estudam, respectivamente: Ricardo Lísias, Ben Lerner, Tiago Ferro, Alejandro Zambra, Art Spiegelman, Karl Ove Knausgård,Juan José Saer,Ricardo Piglia e Georges Perec.

  • img-book
    Peixe-elétrico Bob Dylan: Edição especial de Alcir Pécora, Perry Anderson, Ricardo Lísias, Victor Heringer, Walnice Nogueira Galvão, R$ 14,90

    Em sua primeira edição especial, a revista Peixe-elétrico selecionou ensaios que discutem sob diversos ângulos o campo cultural a partir da obra do Prêmio Nobel de Literatura de 2016, Bob Dylan.

    O britânico PERRY ANDERSON analisa em ensaio polêmico as origens e os limites das revoluções embaladas pelo rock and roll. Sem abrir mão do rigor marxista, Anderson explica porque Rolling Stones, sim e Beatles, não; Beach Boys, sim e Bob Dylan, não.

    O crítico literário ALCIR PÉCORA resenha o livro de memórias de Dylan, Crônicas, e encontra uma nobre linhagem para o autor.

    Também da área da crítica literária, Walnice Nogueira Galvão apresenta os motivos pelos quais a premiação de Dylan para o Nobel de Literatura não faz nenhum sentido. Os conflitos entre cultura engajada e cultura pop atravessam todo o ensaio.

    RICARDO LÍSIAS, editor da Peixe-elétrico, resenha a única ficção de Bob Dylan, o livro Tarântula, que chega ao Brasil em nova tradução.

    O escritor VICTOR HERINGER escreve sobre o momento em que soube da premiação, sua reação e posteriores reflexões a respeito de um ídolo pop receber o prêmio máximo da literatura mundial.

    Uma série de fotos norte-americanas pertencentes à Biblioteca do Congresso ilustram esta edição.

  • img-book
    Poesia e poética de Carlos Drummond de Andrade de John Gledson R$ 14,90

    Estudo clássico de John Gledson sobre a obra de Carlos Drummond de Andrade é relançado pelo selo Peixe-elétrico Ensaios exclusivamente em formato digital. Edição revista e com prefácio inédito assinado por Vagner Camilo.

  • img-book
    Poéticas do contemporâneo de Beatriz Resende R$ 9,90

    A Coleção S/Z foi idealizada pensando em oferecer a pesquisadores e apaixonados por artes e literatura, ensaios e artigos, sempre inéditos, escritos por intelectuais de grande relevância da área de estudos culturais.

    A ideia é colocar em cena o pensamento acadêmico de ponta antes mesmo de sua publicação definitiva em livros e revistas especializadas, promovendo assim o debate e a inovação com a agilidade que somente edições digitais em formato breve podem realizar.

    S/Z é um convite ao que o pensamento da área de humanas tem de mais fascinante: repensar o mundo em toda a sua complexidade através da arte e da cultura.

    Neste número a crítica literária Beatriz Resende discute a inserção da literatura brasileira na contemporaneidade. Num segundo ensaio, pensa a Poética a partir de Paul Valéry.

  • img-book
    Ver lista de desejos
    Por que amo Rosa de Silviano Santiago R$ 9,90

    A Coleção S/Z foi idealizada pensando em oferecer a pesquisadores e apaixonados por artes e literatura, ensaios e artigos, sempre inéditos, escritos por intelectuais de grande relevância da área de estudos culturais. A ideia é colocar em cena o pensamento acadêmico de ponta antes mesmo de sua publicação definitiva em livros e revistas especializadas, promovendo assim o debate e a inovação com a agilidade que somente edições digitais em formato breve podem realizar.S/Z é um convite ao que o pensamento da área de humanas tem de mais fascinante: repensar o mundo em toda a sua complexidade através da arte e da cultura.

    Neste número o crítico Silviano Santiago declara o seu amor ao escritor Guimarães Rosa e explica os motivos.

  • img-book
    Rachel Rachel de Heloisa Buarque de Hollanda R$ 14,90

    “Eu me prometi, várias vezes, por vários anos, fazer um livro de fôlego sobre Rachel [de Queiroz]. Analisar sua obra moderna, seu perfil feminista, sua paixão política, seu estilo único, sua firmeza no trato com a palavra. Mas nunca escrevi esse livro […].”Se o livro de fôlego nunca foi escrito, podemos saborear em “Rachel Rachel” os ensaios e fragmentos de Heloisa Buarque de Hollanda para a realização dessa grande obra que, paradoxalmente, se revela aqui por inteira.O livro inclui os seguintes textos: “A roupa de Raquel um estudo sem importância”; “Rachel de Queiroz, profissão jornalista”; “Como entender Rachel de Queiroz?”; “O ethos Rachel”. E ainda o belo texto escrito por Heloisa e Rachel a quatro mãos “Dona Fideralina de Lavras”.

  • img-book
    Signo e desterro – Sérgio Buarque de Holanda e a imaginação do Brasil de Pedro Meira Monteiro R$ 31,00

    Há tempos que os ensaios clássicos de interpretação do Brasil, escritos nas décadas de 1920 e 1930, vêm alimentando nosso debate intelectual, dentro e fora da universidade. “Raízes do Brasil”, de Sérgio Buarque de Holanda, está entre os que permanecem nos interpelando e nos ajudando a qualificar a dimensão de processo social que o nosso presente ainda oculta. Como um código, de cuja decifração dependesse a compreensão do peso do passado na configuração do presente e das nossas perspectivas de futuro enquanto sociedade.

    Signo e desterro de Pedro Meira Monteiro vem contribuir imensamente com os estudos do pensamento social brasileiro, desenvolvidos nas ciências sociais, história e estudos literários, que têm apostado no potencial heurístico daqueles ensaios para aproximar questões do presente, ou perenes em nossa sociedade, às interpretações do passado. Não apenas repensar os ensaios em sua identidade histórica, tarefa sem dúvida importante; mas surpreender e forjar um espaço cognitivo de comunicação entre o tempo da escritura e o nosso próprio tempo. Aliás, aí está uma exigência do ensaio como forma na recomposição da relação sujeito/objeto do conhecimento.

    As duas tarefas podem ser complementares, e, talvez, o êxito de Signo e desterro se deva também ao fato de ser ponto de chegada de um denso percurso intelectual, rico em deslocamentos de toda sorte. Além de autor de um dos livros fundamentais sobre Sérgio Buarque de Holanda, publicado há mais de uma década, entre outros trabalhos, Pedro Meira Monteiro com este seu novo livro amplia e enriquece nossa visão sobre “Raízes do Brasil” ao situá-lo em relação não apenas a temporalidades, mas também a contextos nacionais e tradições intelectuais distintas. Com a elegância intelectual de sempre, Pedro nos conduz agora pelas permanências de “Raízes do Brasil” na imaginação do país. Ao fazê-lo, concorre para redirecionar o estudo comparativo do pensamento social brasileiro para um campo mais aberto e mais criativo que o costumeiro. Enfim “desterrado”, “Raízes do Brasil” tem ainda muito a nos dizer, como verá o leitor.
    (André Botelho)

  • img-book
    Sinto muito, mas não sou japonesa de Noemia Hinata R$ 19,90

    Sinto muito, mas não sou japonesa trata dos choques culturais entre Brasil e Japão. Levantando exemplos teóricos e culturais, principalmente da sua grande paixão, o teatro nô, Noemia oferece também um enorme leque de situações cotidianas vividas por ela e seus familiares e amigos.

    Tudo sem perder o delicioso sotaque dos nipo-brasileiros que tão bem conhecemos no Brasil.

  • img-book
    Sobre Lima Barreto de Beatriz Resende R$ 14,90

    Uma das principais especialistas na obra do homenageado da Flip 2017, Beatriz Resende lança pela e-galáxia coletânea com ensaios sobre Lima Barreto, incluindo uma análise da iconografia do autor.

  • img-book
    Zona digital de Heloisa Buarque de Hollanda, Cristiane Costa, Beatriz Lagoa, Rodrigo Savazoni, R$ 9,90

    Este livro não nasceu do nada. Em 2010, criamos o espaço Zona Digital, uma experiência on-line, que pretende investigar as possibilidades narrativas abertas pelas novas tecnologias. Em seu conjunto, o site Zona Digital é um agregador de links, notícias, arte, experiências e artigos, tanto nacionais quanto internacionais, buscando ser uma fonte de referência bibliográfica sobre o tema. Este livro é uma primeira iniciativa de agrupar o conteúdo produzido no site Zona Digital e lançá-lo em novo formato e para novos públicos. A seleção priorizou os artigos sobre arte e tecnologia, cultura digital, novas narrativas, mídias sociais e as questões teóricas, estéticas e políticas que emergem neste momento. Com organização de Heloisa Buarque de Hollanda e Cristiane Costa, que também assinam artigos, ao lado de Rodrigo Savazoni, Beatriz Lagoa, entre outros.