AuraONE_Lifestyle_Beach+Reading_Reading+Screen_BRPT_6079fea1-b8ea-485b-b8d9-6ad24efc0370-prv
Enfim, férias! ??☀️??
Em 18 de dezembro de 2017 | 0 Comentários

Aproveite as férias de verão para colocar a leitura em dia. Selecionamos alguns títulos para ajudar.

FICÇÃO

ilhós, de Carol Rodrigues. Numa mistura de delicadeza e crueldade, entre um fundo lírico e uma prosa seca, os contos de ilhós exploram o desafio proposto por Noemi Jaffe, coordenadora do selo JOTA. A ideia original desta coleção partiu do pioneiro e consagrado Oulipo, grupo de escritores entre os quais se incluíam Italo Calvino, Raymond Queneau e Georges Perec.

As alegres comadres do Negreiros, de Roberto Negreiros. Lançado exclusivamente em e-book, o livro reúne os desenhos dedicados às mulheres em mais de 40 anos de produção do artista paulistano. Com prefácio de Ivan Angelo, o leitor vai encontrar entre os mais de 60 desenhos, o traço inconfundível do fino humor que há décadas dá vida às páginas das revistas VIP, Playboy, Veja, piauí, entre outras.

Ensimesmices, de Paulo Zoppi. Um dente quebrado, um vulto no olho mágico, um produto que chega pelo correio: os contos de Ensimesmices partem de situações e acontecimentos aparentemente banais, mas que colocam seus protagonistas em situações surreais e desencadeiam uma torrente de inquietações sobre como nos vemos e qual o nosso lugar no mundo. Isso tudo com doses comedidas de lirismo e humor.

O legado de Capitu, de Flávio Aguiar. Nesse romance policial, lançado em parceria com a editora Boitempo, o poeta e crítico literário Flávio Aguiar nos oferece uma trama complexa, ambientada entre Berlim, São Paulo e Porto Alegre e apimentada por escândalos políticos, suspense, digreções sobre alta literatura e uma inesperada grande paixão. Com personagens cativantes, o mistério vai aos poucos se revelando ao leitor, quase como num convite para revisitarmos o pensamento dessa mulher em milhares que sempre será Capitu.

NÃO FICÇÃO

Meios e finais, conversas com Ricardo Piglia. Como afirma Paul Firbas (organizador da obra) no prefácio: “A conversa é um dos gêneros prediletos de Piglia para a interseção entre a crítica e a ficção, e para buscar, de alguma forma, escapar do lugar de enunciação da academia e das autoridades. Sendo assim, tais conversas, logo convertidas em textos de crítica, configuram também os capítulos imaginários de algum romance epistolar entre amigos.”

Os marginais, de Heloisa Buarque de Hollanda. Tendo vivido e estudado a literatura da década de 1970, a autora de Impressões de Viagem e várias antologias, artigos e conferências sobre esta década, decidiu experimentar e trabalhar uma versão expandida e remixada de alguns de seus textos. O ponto de partida foi o estudo Política e literatura: a ficção da realidade brasileira, procurando avaliar a literatura do período de chumbo pós-AI-5. O e-book é ricamente ilustrado com imagens, vídeos, áudios e documentos de época.

A imagem revelada, de Olga Curado. Você já se perguntou sobre o que as pessoas acham a seu respeito? E o que as faz terem essa opinião? A imagem revelada é a descrição de um método que disseca o conteúdo da imagem, e como resultado oferece uma ferramenta pessoal e profissional para cada um conhecer e desenvolver a sua própria imagem.

Cultura japonesa 2, Nikkey Shimbun. O que seria a cultura japonesa? Por que não houve saques a supermercados quando ocorreu o grande terremoto seguido de tsunami em 11 de março de 2011? Por que, na Copa do Mundo de 2014, os torcedores daquele país recolheram o lixo na arquibancada do estádio após o término do jogo? Como foram surgindo do Japão arrasado pela Segunda Grande Guerra, uma após outra, empresas de porte internacional? A coleção Cultura japonesa apresenta uma análise dos acontecimentos atuais, sua história e cultura. Destaques do vol. 2: Por que o Guia Michelin traz mais restaurantes três estrelas em Tóquio que em Paris? Os segredos do Santuário de Ise, que é reconstruído a cada 20 anos desde o ano 690 D.C.

E para aproveitar melhor as férias com a criançada:

Eco-arte com crianças, de Anna Marie Holm (trad. Felipe B. S. Romano). Vento, chuva e sol são ferramentas de energia nas vivências em que a dinamarquesa Anna Marie Holm realiza com as crianças. A partir de um olhar atento sobre e com a natureza, o livro traz um registro de criações poéticas que contribuem para a preservação do planeta e ainda, um rico material onde a brincadeira ao ar livre e as relações – humanas e com o meio ambiente – têm lugar especial.

A ponte dos sonhos, de Januária Cristina Alves. Apolônio é um garoto que tem um grande desejo visitar o País dos Sonhos. Um dia, enquanto dormia, ele encontrou uma fada que lhe indicou o caminho para atingir sua meta: uma estrada marrom! Mas, para chegar lá, ele não poderia desviar-se daquela rota. Será que Apolônio conseguiu chegar ao seu destino? Indicação: de 6 a 8 anos.

Tiviu, de Regina Carvalho. Pessoas gostam de ouvir o canto dos passarinhos, mas não entendem o que eles dizem. Passarinhos não gostam muito de ouvir a voz de pessoas, nem mesmo quando elas cantam. Se elas pudessem conversar umas com as outras, pessoas e passarinhos, poderiam chegar a uma relação de amizade linda demais. Pois é o que acontece entre Tiviu e a professora, nesta história. Vale a pena conhecer essa amizade.

O bruxinho tímido e o lobisomem apaixonado, de Januária Cristina Alves. Você conhece alguém tímido, que tem vergonha de tudo, inclusive de falar? E que tem tanto medo de se expressar que chega a ficar gago? Assim é Peleco, o simpático bruxinho por quem a bruxinha Paulinéia se apaixona perdidamente. Será que ela vai conseguir conquistar a confiança e o amor do Peleco? E ele, será que conseguirá superar suas dificuldades e curtir sua paixão? Um livro divertido e inteligente sobre a superação de nossos medos e dificuldades, indicado para leitores em fase de alfabetização e já alfabetizados. Indicação: entre 7 e 9 anos.

Boas festas,
equipe e-galáxia

imagem @kobo divulgação