Mostrando todos os 2 resultados

Ordenar por:
  • img-book
    Cuidado! Onça!! de Eunice Antunes Maciel R$ 9,90

    Aninha, Pedro, Chico e Luisa foram convidados pela Cacá para passar uns dias em Campos do Jordão, na casa de sua avó. Cinco melhores amigos numa casa linda, num bairro afastado do centro, perto do mato, longe de tudo.

    Julho é a melhor época do ano, a cidade enche de gente, faz frio, os casacos saem dos armários e as lareiras são acesas.

    O que a turma não sabe é que Campos de Jordão fica dentro de uma enorme área de proteção ambiental, e em meio a tanta mata preservada encontram-se animais de várias espécies, inclusive felinos de grande porte, as onças! Acham até engraçado quando são alertados para não se afastarem de casa. Mas aos poucos vão percebendo que o perigo é real e acabam, sem querer, envolvidos numa sequência de perseguições: caçadores atrás da onça, policiais atrás dos caçadores, guardas florestais atrás da onça e dos caçadores; enquanto tentam desesperadamente chegar em casa, perdidos no mato, com uma onça acuada que, pressentindo o perigo, irá atacar quem encontrar pela frente!

    Você vai gostar dessa aventura que fala de amizade, coragem, amor à natureza e que, numa reviravolta, tem um final surpreendente!

  • img-book
    Ebó pra Oxum na Mata Atlântica de Gabriela Canale Miola R$ 2,90

    Ebó pra Oxum na Mata Atlântica é uma invocação do poder feminino da água e da natureza, e também um convite ao amparo e à cura, através das palavras e imagens que constroem suas páginas. A artista visual Gabriela Canale Miola promove um diálogo intenso e profundo entre suas fotografias e poemas, criando um poema visual que é, também, um ensaio reflexivo. Casa-natureza, casa-útero, casa-amor, a Mata Atlântica empresta suas cores para uma itinerância que nos leva da ‘culpa’ à ‘paz’, em um caminho que mescla a ‘geometria guarani’ com as cantigas de Oxum. Por este caminho, o medo se dilui nas águas. Terra e céu dialogam através da sensibilidade ancestral, a mesma que nos indica rotas e reflexões de como criar ‘nosso próprio mapa’, descolonizando os pés, os passos e as palavras.”

    Diana Araújo