xleonesdiv6.jpg.pagespeed.ic.u6deCl-okf
Escritor começou bem sua carreira e não parou mais
Em 23 de janeiro de 2020 | 0 Comentários

Veja como André de Leones, finalista dos três principais prêmios literários do país em 2019, começou sua carreira de escritor

Prêmios literários para obras inéditas são ótimos para iniciar a carreira. André de Leones venceu o Prêmio Sesc de Literatura com seu romance de estreia – Hoje está um dia morto (2006) –, e como parte da premiação, foi publicado pela Record. Porém, ter um livro de estreia premiado e lançado por uma grande editora não faz escritor.

Nascido em 1980, após o primeiro romance, De Leones construiu, com dedicação e talento, sua carreira literária.

Aproveitou a formação em filosofia e a habilidade e o manejo de outros idiomas para traduzir três obras para a É Realizações. Passou a assinar resenhas e artigos sobre literatura em diversos veículos, pequenos e grandes, como O Estado de São PauloDiário de Cuiabá e revista Bravo!. Desdobrou seu talento de romancista e crítico em crônicas, publicadas no O Popular.

Seus romances continuaram sendo publicados pela Record, Rocco e José Olympio, que lançou o mais recente Eufrates (2018), finalista dos três principais prêmios literários do país em 2019: Jabuti, São Paulo de Literatura e Oceanos.

De Leones também entendeu a importância de novas formas de publicação e de leitura de livros, e integrou com destaque o selo Formas Breves da e-galáxia, no ano de 2014, com o conto Penélope. No selo Formas Breves, que teve curadoria de Carlos Henrique Schroeder, ficou lado a lado com outros 55 autores brasileiros, como o então pouco conhecido Victor Heringer (1988-2018), e outros com trajetórias já consolidadas: Nuno Ramos, João Carrascoza, Marcelino Freire e Elvira Vigna.

Toda essa produção está organizada em seu site muito bem montado. Ali é possível acessar seu trabalho, bem como resenhas e críticas de terceiros sobre seus livros.

Ele elegeu o instagram para trabalhar nas redes. A conta tem 2.673 seguidores, onde ele compartilha de forma mais ligeira suas leituras, participações em eventos e um pouco da própria intimidade (fotos de gatos e drinks, com ótimo humor).

De Leones nos parece ter realizado uma construção de carreira literária exemplar:

  • foco principal nos romances;
  • participação em prêmios literários;
  • participação em outras mídias e para outros públicos;
  • usa o site e o instagram para construir sua imagem, divulgar seu trabalho e se relacionar com seus leitores.

Fica a lição: além de talento para escrever um livro, é preciso dedicação e persistência em diversas frentes para construir uma carreira literária.

Veja aqui quem mais publicou pela e-galáxia.

@Roseli Vaz/divulgação