Mostrando 61–72 de 339 resultados

Ordenar por:
  • img-book
    As primeiras pessoas de Cesar Cardoso R$ 14,90

    “Há alguma vantagem em se narrar na primeira pessoa? Talvez. Uma delas é que a história parece ter sido escrita por alguém que não o próprio autor. Quando usamos a terceira pessoa, nos tornamos os únicos responsáveis pelo estilo, acertos e erros da história narrada.

    Cesar Cardoso, de larga experiência, certamente não pensou nessa questão quando decidiu escrever os vinte e cinco contos de As primeiras pessoas. Se a escolha aconteceu ao acaso, foi seu primeiro acerto. Cada conto é uma voz narrativa diferente, tornando o livro uma polifonia vocal, que o leitor escuta enquanto lê.

    Alguns esperam dos livros de contos que possuam uma atmosfera única, um mesmo diapasão narrativo da primeira à última página. Não esperem isso de As primeiras pessoas. Cesar Cardoso surpreende a cada história que narra, ou melhor dizendo, que os personagens narram por ele.

    Em “Déjeuner Du Matin”, a voz que se escuta é delicada, reminiscente, com um assumido sotaque carioca. Bem diferente da voz aliciante, dissimulada e perversa de “Chororô”. Em “Eles”, a primeira pessoa narradora esbanja metáforas como ‘pude ver a lua bebendo água na vasilha do cachorro’ ou ‘socava as tristezas com muito alho e noz moscada’. É uma primeira pessoa feminina, com gosto pelo tom estranho, quase sobrenatural. Bem diferente de “Ladies First!”, em que a voz assume o deboche e a ironia, faz muitas perguntas e fala de cinema e televisão.

    Ninguém neste livro sentirá o embalo da atmosfera única. Cesar Cardoso inventa modos narrativos, faz experiências como em “Bem unidos façamos”, uma sucessão de cartas engraçadas e ricas em citações, pois se trata de um autor que transita pelas várias formas da arte, mas que também é capaz de escrever com o ritmo fortemente marcado pela linguagem oral e pela música popular. Em todos os contos Cesar Cardoso imprime sua marca de narrador experiente, seguro do que é escrever bem.

    O mais curioso nesse livro instigante é ler que ele foi dedicado aos netos. Com tantos experimentos e ousadias, eu o imaginava escrito por alguém bem jovem. Salve a juventude desse jovem senhor! “

    (Ronaldo Correia de Brito)

  • img-book
    Asfalto de Paula Bajer Fernandes R$ 5,90

    Asfalto reúne dez contos da escritora Paula Bajer Fernandes.

    Há, na avenida Brigadeiro Luiz Antonio, uma vidente. Dolores dirige motocicleta entregando encomendas pela cidade. Naquele dia de calor, ela e sua irmã precisam decidir onde a mãe vai morar. Elisa C., famosa escritora, reclusa, será entrevistada por um jornalista admirador. Será que ela aparecerá? Érica, filha de japoneses tradicionais, vai se casar. Ela ganha um quimono lindo do pai. Um GPS fala mais do que deve e cria situações inusitadas. Marisa precisa dar conta da agenda complicada em um dia nada comum. Um advogado é ouvido em uma investigação policial sobre o homicídio de seu vizinho. Em um baile, um garoto usa um smoking emprestado e dança valsa. Um gerente de banco voyeur espia informações bancárias de sua vizinha. No restaurante, um casal comemora aniversário de casamento: ela está de dieta.

    Em Asfalto, mínimos acontecimentos mudam caminhos óbvios, criando situações inesperadas. Ou quase isso. Suspense e rotina fundem-se no livro de Paula Bajer Fernandes.

  • img-book
    Autoficção de André Sant’Anna R$ 4,90

    André Sant’Anna mostra neste conto inédito porque é um dos grandes nomes da literatura contemporânea brasileira. Com prosa cadenciada constrói uma história lapidar.

    Sant’Anna é músico, escritor, roteirista de televisão, cinema e publicidade. É autor de diversos livros, entre eles: Inverdades (7 Letras), O paraíso é bem bacana e O Brasil é bom (ambos pela Companhia das Letras).

    Formas Breves é um selo digital dedicado ao gênero conto. Seu único princípio é a qualidade. Com traduções diretas e exclusivas de grandes clássicos do conto universal ou com narrativas da nova geração de escritores em língua portuguesa, Formas breves é um ancoradouro desta galáxia chamada conto.

  • img-book
    Aventuras nas Terra dos doces de Elis Nunes R$ 9,90

    O livro conta a história dos irmãos Angelina e Angelino que em sonho atravessam um portal mágico e vivem aventuras sem limites num reino onde tudo é feito de doces. Guiados pelo personagem Fine, uma Bala de Gelatina, conhecem o Rei dos Doces e o Mago Mel. A história tem uma reviravolta quando o Mago Mel, tomado pela sede de poder e de juventude eterna, torna-se o Mago Melvado e torna todos os doces amargos e tristes. O Rei dos Doces precisará da ajuda de Angelina e Angelino para salvar a Terra dos Doces. O enredo e os personagens embalam o imaginário dos leitores e chegam a dar água na boca.

  • img-book
    Averrós de José Luiz Passos R$ 4,90

    Averrós, de José Luiz Passos (vencedor do Prêmio Portugal Telecom de Literatura 2013), abre o selo Formas breves com refinado labor estilístico e ritmo preciso. Averrós é um desses personagens inesquecíveis, que enche cada linha com a força e a vida que somente a grande literatura pode proporcionar.

    Formas Breves é um selo digital dedicado ao gênero conto. Seu único princípio é a qualidade. Com traduções diretas e exclusivas de grandes clássicos do conto universal ou com narrativas da nova geração de escritores em língua portuguesa, Formas breves é um ancoradouro desta galáxia chamada conto.

  • img-book
    Ávida vida de Maria Elizabeth Candio R$ 9,90

    Um livro que se abre como um ventre, trazendo à luz, o que se passa na interioridade vasta de Maria Elizabeth Candio, poeta que parece dançar e cantar enquanto escreve, pois que seus ritmos se espraiam nos envolvendo e nos conduzindo pela vida ávida dos seus cânticos. Sim, uma poesia que se encorpa de encantos simples e raros, em que o tempo e os elementos deslocam os substantivos para a categoria de verbo, não um verbo qualquer, um verbo que substancia sentimentos. É como se nos dissesse: receba estes poemas como dádivas que te vidam.

    Na verdade, este Ávida Vida traz uma poeta inteira, lúcida, madura, consciente do que quer e alinhando sua poesia aos aspectos existenciais que unificam um ontem, um agora e um amanhã que se sobrepõem às pequenezas depositadas sobre a vida mundana saltando para a grandeza que todos os seres humanos querem em destaque, nas suas passagens pelo mundo.

    Portanto, este não é um livro para se ler de uma vez, é para ser revisitado, porque guarda em cada poema uma intensa gema de cristal que revela mais da vida e isso se evidencia no “Retrato da poeta quando pedra”, no seu aviso de que escreve para criar vigas afim de preencher vagas e, de fato, este é um livro rochedo, indestrutível e permanente, marcante na Literatura de um país carente de boa poesia.

  • img-book
    Bénédicte não se move de Laura Erber R$ 4,90

    Uma poesia gráfica para filosofar sobre a prosa ou uma narrativa breve para convulsionar a poesia? Esse conto-poema desenhado retoma o universo labiríntico e onírico de Bénédicte, iniciado com o “Bénédicte vê o mar” em 2011.

    O trabalho de Laura Erber se caracteriza pelo constante trânsito entre linguagens e pelo modo como renegocia relações entre palavra, imagem e corpo. Poeta e artista visual, publicou “Körper und tage” (Merz-Solitude, 2006) com tradução para o alemão de Timo Berge “Vazados & Molambos” (Editora da casa, 2008), “bénédicte vê o mar” (Editora da casa, 2011) e “Esquilos de Pavlov” (Editora Alfaguara, 2013), dentre outros.

    Formas Breves é um selo digital dedicado ao gênero conto. Seu único princípio é a qualidade. Com traduções diretas e exclusivas de grandes clássicos do conto universal ou com narrativas da nova geração de escritores em língua portuguesa, Formas breves é um ancoradouro desta galáxia chamada conto.

  • img-book
    Buenos Aires, livro aberto de João Correia Filho R$ 19,90

    Com Buenos Aires, livro aberto, João Correia Filho dá continuidade à série de guias que trouxe à tona a urbanidade poética de Lisboa, Paris e São Paulo, e inauguraram um novo estilo de livros de viagem.  Lisboa em Pessoa, por exemplo, foi agraciado com o Prêmio Jabuti, em 2012, na Categoria Turismo.  Buenos Aires, livro aberto volta os olhos para a capital argentina e propõem revisitá-la a partir do universo de seus escritores, como Jorge Luis Borges, Julio Cortázar, Ernesto Sabato, Ricardo Piglia, Victoria e Silvina Ocampo, Alfonsina Storni, Roberto Arlt e muitos outros. As casas em que viveram, as livrarias em que estiveram, as ruas por onde passaram, os bares e cafés que frequentaram e muitos dos locais descritos em suas obras estão presentes em sete roteiros especiais.  Você conhecerá Buenos Aires auxiliado por ferramentas que só um livro digital e a internet podem oferecer – recursos do Google Maps, vídeos, música, uma galeria com mais de 100 imagens e um mundo de informações que complementam e atualizam a viagem, sem que isso pese na sua bagagem. Ou seja, você terá a cidade literalmente na palma da sua mão, e poderá se deixar levar inteiramente por sua poesia, soltar a imaginação e manter a emoção à flor da pele. Afinal, é disso que se constituem as grandes viagens.

  • img-book
    Buracos de Ana Estaregui R$ 11,90

    Um buraco negro. Um buraco na rua, na memória, no corpo.

    Escrever sobre buracos. Esse foi o tema do desafio proposto para Ana Estaregui por Noemi Jaffe, curadora do Selo JOTA.

    Em 41 diferentes versões, Estaregui leva ao limite da forma um tema aparentemente simples, mas que percorre diferentes temporalidades e culturas. Do registro epistolar ao filosófico, passando pela banalidade da publicidade e das listas, os textos aqui reunidos ganham força surpreendente através da prosa livre e fragmentária da autora.

    A ideia original do Selo JOTA partiu do pioneiro e consagrado Oulipo, grupo de escritores entre os quais se incluíam Italo Calvino, Raymond Queneau e Georges Perec. Todos os livros do JOTA partem de um desafio, de restrições narrativas que, por paradoxal que pareça, atuam de maneira a incrementar o texto ficcional.

  • img-book
    Cá entre nós de Olga Curado R$ 9,90

    Há som, quando uma árvore desaba numa floresta, se não tiver alguém para ouvir? Não, a queda da árvore gera vibrações. O som só ocorre se elas forem percebidas por um ser vivo!

    Talvez o que eu perceba como uma cor e cheiro, não é exatamente igual à cor e cheiro que você percebe, e isso nunca saberemos.

    Quando olhamos para um céu estrelado, vemos um antigo mosaico temporal, já que a luz que chega até nós partiu de cada estrela há muito tempo, e em momentos distintos.

    O que enxergamos depende de nossas expectativas, daquilo que esperamos encontrar, embrulhadas em emoções de medo, raiva, compaixão…

    Pessoas, escolas, livros, palavras escritas ou ditas também nos mostram o mundo, sob variadíssimas formas que dependem da experiência pessoal, aprendizado, imaginação, memória, e valores. Conhecer o mundo é um exercício de conexão.

    A comunicação é o processo por meio do qual fazemos as trocas de mensagens – o que nos aproxima e o que nos distancia do outro. Pela maneira como usamos nossos sentidos, nossos conhecimentos, emoções, experiências e motivação construímos uma ponte ou uma barreira entre nós e os outros.

    Cá Entre Nós é uma tentativa de facilitar a construção de pontes.

  • img-book
    Camaradinha de André Timm R$ 4,90

    “Subia com a autoridade de quem já era de casa, conhecedor de cada sala, corredor, reentrância, exceto por aqueles lugares misteriosos em que jamais me foi permitido entrar ou que tive coragem de querer.”

    A mitologia da caserna pelos olhos de um garoto, na brilhante narrativa de um dos jovens talentos do conto brasileiro.

    Formas Breves é um selo digital dedicado ao gênero conto. Seu único princípio é a qualidade. Com traduções diretas e exclusivas de grandes clássicos do conto universal ou com narrativas da nova geração de escritores em língua portuguesa, Formas breves é um ancoradouro desta galáxia chamada conto.

  • img-book
    Capim miúdo de Carlos Emilio Faraco R$ 14,90

    Capim miúdo apresenta uma série de histórias curtíssimas, em que só cabe o dia a dia das pessoas comuns. Com esses microcontos, o autor pretende provocar reflexão sobre o que é estar no mundo sempre e sempre sujeito às trapaças da sorte.