img-book
ISBN: 9788584740789

Deus devolve o revólver

de Régis Bonvicino

Libreto do álbum Deus devolve o revolver reúne 16 poemas inéditos de Régis Bonvicino. Nas palavras do crítico Alcir Pécora, que assina o prefácio, são “poemas de mastigar pedras – não as dos agrestes, como as de Cabral, ou as de ferro, como as de Drummond, mas é óbvio que o construtivismo do primeiro, como o desengano lírico do segundo são um legado decisivo para a poesia de Régis. Poemas de mastigar ruínas dos centros das grandes cidades brasileiras, de que São Paulo é o exemplo por antonomásia, tendo por centro os seus acampamentos ubíquos de lumpens, cuja figura mais desamparada e fora de controle, mais impossível de assimilar à vida civil, é o noia”.

R$ 19,90

Ver lista de desejos
Ocultar
Libreto do álbum Deus devolve o revolver reúne 16 poemas inéditos de Régis Bonvicino. Nas palavras do crítico Alcir Pécora, que assina o prefácio, são "poemas de mastigar pedras – não as dos agrestes, como as de Cabral, ou as de ferro, como as de Drummond, mas é óbvio que o construtivismo do primeiro, como o desengano lírico do segundo são um legado decisivo para a poesia de Régis. Poemas de mastigar ruínas dos centros das grandes cidades brasileiras, de que São Paulo é o exemplo por antonomásia, tendo por centro os seus acampamentos ubíquos de lumpens, cuja figura mais desamparada e fora de controle, mais impossível de assimilar à vida civil, é o noia".

ISBN: 9788584740789
Data de publicação: 2020
Páginas: 82

1955
Poeta, tradutor e crítico literário nascido em São Paulo, capital. Formado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo em 1978. Seus três primeiros livros são reunidos na obra Primeiro Tempo, em 1995, em edição da coleção Signos, dirigida pelo poeta Haroldo de Campos (1929-2003). Dois anos depois a editora norte-americana Sun & Moon Press lança a antologia individual de seus poemas, Remote Identity. Dirige, em parceria com o poeta norte-americano Charles Bernstein (1950) e o professor e crítico literário Alcir Pécora, a revista de poesia Sibila.

“Deus devolve o revólver”

Ainda não há avaliações de leitores para este título.